Skip to content

Autarquias prestam tributo ao Associativismo na Quinta do Conde

26/05/2015

A Junta de Freguesia da Quinta do Conde e a Câmara Municipal de Sesimbra vão, dia 30 de Maio, homenagear o associativismo quintacondense através de uma escultura concebida pelo artista Carlos Bajouca, a implantar numa rotunda que intercepta duas importantes artérias da Quinta do Conde: Rua Serra da Arrábida e Rua das Olaias.
A cerimónia de inauguração da escultura, realiza-se às 10h30 e irá contar com a participação do autor, autarcas, dirigentes associativos e população em geral e começa com a benção da escultura, acto protagonizado pelo reverendo padre Daniel Nascimento.
Por oportuna sugestão do Grupo Desportivo e Cultural do Conde 2, a Junta de Freguesia da Quinta do Conde inscreveu nos seus objectivos para 2015 a intenção de “Edificar em local adequado do espaço público uma escultura de homenagem ao movimento associativo local”.
A homenagem justifica-se pela importância do trabalho realizado pelas múltiplas associações da Quinta do Conde na construção da identidade local, na integração social dos novos residentes, que em número elevadíssimo escolheram esta terra nas últimas décadas, bem como na promoção da cultura, do desporto, do recreio, da educação, da saúde, da solidariedade social, entre outras.
Para corporizar a homenagem as autarquias convidaram o escultor Carlos Bajouca a apresentar uma proposta, tendo este sugerido uma árvore, cujo tronco é executado em pedra mármore e os ramos em metal pintado a várias cores. Na base um conjunto de figuras, também em metal, sugere fraternidade, união, conjugação de vontades.
Encontrar um elemento com uma figuração simbólica tão rica como aquela que a árvore possui pode não ser impossível mas é, certamente, difícil. Um símbolo da vida, quando elemento em ascensão vertical em direção aos céus, portador da representação da evolução cósmica, ou como símbolo da fertilidade, com as caraterísticas cíclicas do nascimento, crescimento, definhamento e morte, bem como a subsequente regeneração.
Noutra perspectiva podemos ver a árvore em diferentes dimensões com as raízes na profundeza da terra, à superfície da qual está o tronco, do qual emergem os ramos e as folhas atraídos pela luz. Estas são certamente algumas das razões que motivam a presença da árvore em diferentes mitologias e em distintos conceitos, designadamente “árvore da vida”, “árvore do conhecimento”, “árvore do bem”, “árvore do mal” – aquela que afastou Adão e Eva do paraíso – ou “árvore genealógica”.
A escolha de diferentes cores para os ramos da árvore acrescenta vida e representa as distintas áreas de intervenção do movimento associativo.
O local, é também ele, emblemático. Com efeito, a Escola Básica n.º2 foi, na génese, ainda nos anos setenta, construída com recurso a trabalho voluntário dos encarregados de educação, coordenados pela respetiva associação de pais.

Vítor Antunes, presidente da Junta de Freguesia da Quinta do Conde

Advertisements
No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: